18 de nov de 2010

Decisões que marcam

O Olhar de ambos se encontram e o tempo para.
Os dois se aproximam como se ligados por um imã.
As palavras são desnecessárias.
O sorriso fixo, as mãos que insistem em tremer, e no coração a certeza de que encontraram seu lugar.
O simples toque das mãos causa um rebuliço no âmago dos dois apaixonados e ruboriza a face de ambos.
Todos os sentimentos negativos são deixados para trás naquele momento. Em vez da dureza, a maleabilidade, em vez da arrogância, a doçura, em vez da determinação, a incerteza.
O estresses sentido amiudamente evapora-se ao redor de cada um como um passe de mágica.
A doçura em suas expressões é facilmente percebida, senão pelo sorriso, pelo olhar tão doce.
Aquele momento poderia se eternizar que nenhum deles se importaria.
No entanto, no íntimo dela,  batalhas são travadas entre se deixar comandar por esse sentimento nunca vivido e tão novo, e as responsabilidades habituais do dia-a-dia.

A luta que ela trava é ferrenha e desleal, porque o sentimento surgido a faz se perder de si mesma
Quem vai vencer essa luta? A consciência ou a falta dela?
o amor ou o dever?
Será que haverá vencedores?
Seria tão fácil só seguir o coração!

Mesmo travando essa luta íntima, ela sente o calor queimar seu corpo, e o desejo de se deixar levar por tudo é imenso. A vontade é só viver, sentir, renascer!
Porque deveria se negar a algo tão belo? Não parece errado, seu coração diz que é certo, que vai ser belo.
Mas enfim, ela sufoca esse sentimento tão puro e belo. O amor não foi vivido, e hoje só restam as lágrimas resultantes da saudade, do arrependimento, e uma dor  que não quer calar, e insiste em voltar cada vez que a guarda é baixada, e nesse retorno, os fatos do passado voltam com força redobrada ao presente, como se fosse uma forma que a vida encontrou de punir a falta de coragem de lutar por um amor único e por isso, mágico, belo e raro. Aquele, foi um encontro de almas, e não se repetirá mais na vida dos dois.
Mais uma vez o medo venceu, e as almas se desencontraram, e agora clamam em algum lugar do universo por uma nova chance de poder viver esse amor tão forte, e com isso quem sabe dar um pouco de paz às suas almas


13:37 h

Val Araújo

Um comentário: