19 de dez de 2010

O ratinho e a certidão

Outro dia no serviço, uma servidora me chamou e disse que tinha algum inseto que estava comendo papel.
Os processos estavam com as capas roídas, e algumas peças importantes precisaram ser substituídas.
Ficamos pensando que bicho poderia ser, pois o armário é de aço e fica trancado. Procuramos ver se tinha algum buraco no armário, mas não vimos nada.
Pensei comigo: Mistério!!!!
Ainda bem, que não trabalhamos com processos criminais, porque senão eu já ia pensar que alguma alma penada estava querendo se vingar dos réus ou vítimas nos processos.
Bem, depois de alguns dias, o visitando noturno continuava seu trabalho de comer papel. Na verdade, ele não comia, só roía e deixava tudo na maior bagunça.
Certo dia, escutei  mulher gritando, subindo em cima de cadeira, eu mesma fui uma, com medo de um ratinho que tinha no máxima 10 centímetros. Ele correu de dentro do armário, e desesperado disparou pela sala, sem saber para aonde correr do grito daquele monte de mulher louca.
Por fim, não achando outro lugar ele ficou escondido entre uma janela e a parede, bem no alto onde ninguém podia alcançá-lo.
Ele não sabia, é claro, que comigo ele não precisava se preocupar, porque só de pensar em chegar perto dele eu já me arrepiava de nojo. Por isso, ele podia ficar eternamente naquele lugar que eu não o incomodaria.
Depois dessa confusão, descobrinos que o ratinho passava por um buraquinho de nada que tinha no armário. Não sei como ele entrava de tão pequeno que o buraco era. Mas ele entrava. Devia ser algum contorcionista circense. Pensamos até em mandá-lo ao Circo de Soleil, porque ele se daria bem por lá.
No final, como descobri a causa dos processos destruídos, tive que fazer uma certidão para o meu chefe da ocorrência. kkkkk.
Foi hilário!!! Algum engraçadinho, com certeza vai copiar minha certidão e mandar para algum lugar onde ela vai ficar entre as glórias do judiciário, ou melhor, as palhaçadas do judiciário.
Devo confessar que eu também dei boas risadas depois que assinei a certidão.
Mas enfim, são ossos do ofício. Alguém tinha que dizer o porquê dos processos estarem destruídos daquela forma, e cabia a mim...."a chefinha" como o pessoa me chama passar por esse vexame...kkkk.

Nenhum comentário:

Postar um comentário